Escola de Formação em Saúde
Secretaria de Estado da Saúde

NOTÍCIAS 2016

Boas Festas 2016

efos natal2016

VISITA DE SUPERVISÃO DO CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM – JOAÇABA

No dia 17 de novembro do corrente ano, a Gerente da EFOS Andiara Sopelsa, a Coordenadora Pedagógica Susana Polidório e a Coordenadora Técnica Maristela Castro Klauberg realizaram uma visita de supervisão no Curso Técnico em Enfermagem coordenado pela enfermeira Elizângela Schmidt na cidade de Joaçaba, esta turma atende os municípios pertencentes à Região Meio Oeste do Estado.

A visita começou por meio de um diálogo com os alunos que estavam em estágio no HUST – Hospital Universitário Santa Terezinha acompanhados da professora Lesiani Cristina Agusti. Neste momento os alunos relataram a alegria de poderem colocar em prática as técnicas estudadas em sala de aula, acrescentando algumas dificuldades e facilidades encontradas nesta primeira experiência em campo de estágio.

Após, a equipe da EFOS reuniu-se com a coordenadora do curso e as professoras para a realização do Conselho de Classe do Módulo II e Bloco Temático III. A reunião ocorreu de forma muito produtiva com relatos de experiências vivenciados em campo de estágio que trouxe muito aprendizado, tanto para os alunos como para as professoras. Nesta ocasião, aproveitamos também para repassar algumas informações e orientações necessárias para o andamento do curso.

Queremos agradecer pela bela recepção da coordenadora do curso Elizângela que demonstrou ser muito atenciosa e prestativa. Parabenizamos também pelo excelente trabalho realizado em Joaçaba.

Screenshot 101Screenshot 102

________________________________________

Formatura da turma do Curso Técnico em Enfermagem de Turvo

A Escola de Formação em Saúde (EFOS), realizou no dia 10 de dezembro/2016, a formatura da turma do Curso Técnico em Enfermagem no Município de Turvo/SC. Ao todo foram 24 formandos e a solenidade ocorreu às 19:00h no Clube Grêmio Turvense.

Estiveram presentes Sr. Tiago Zilli e Sra. Luci Zilli (Paraninfos), Sr. Jean Carlos, representando a CIR, Sra. Ioná Birolo, representando o COREN/SC, Sr. Renato L. Manenti – Presidente do Hospital São Sebastião de Turvo, Sr. Evandro Peck – Diretor do Hospital São Sebastião de Turvo, Sr. José Bez Batti – Presidente da Associação Irmã Úrsula Heiddman, Sra. Mariel B.F.Patrício (Patronese), Sr. Nilo Humberto de Souza, Coordenador da Turma e representante da da Gersa de Araranguá, Sra. Maristela Castro, Coordenadora Técnica da EFOS e Sr. Gustavo Blosfeld, representando a Gerente da EFOS, Srta. Andiara Solpesa. Foram dois anos de empenho e dedicação da turma que a partir de agora estão prontos para desempenhar a profissão de Técnico em Enfermagem.

A Efos parabeniza os novos profissionais e faz votos para que tenham muito sucesso na profissão!

Screenshot 99Screenshot 100

________________________________________

PALESTRA SOBRE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TRANSPLANTES

palestra doacao orgaos EFOS

No dia 09 de novembro do corrente ano aconteceu no auditório da EFOS uma palestra sobre Doação de Órgãos e Transplantes.A palestrante foi a enfermeira e especialista em transplantes, sra. Daniela D’Avila da divisão técnica do SC Transplantes.

palestra doação órgãos EFOS
A palestra foi de sumaimportânciapara os alunos da EFOS, professores e funcionários que consideraram ser uma ótima oportunidade excelente para esclarecer as dúvidas referente ao assunto. Daniela abordou o tema baseado nos protocolos e legislações atualizadas sobre o processo de Doação de Órgãos e Transplantes.

A seguir perguntas e respostas retiradas do site do SC Transplantes para esclarecimentos de todos.

Tire suas dúvidas sobre doação de órgãos!

- Como posso ser doador?
Hoje, no Brasil, para ser doador não é necessário deixar nada por escrito, em nenhum documento. Basta comunicar sua família do desejo da doação. A doação de órgãos só acontece após autorização familiar.

- Que tipos de doador existem?
Doador vivo - Qualquer pessoa saudável que concorde com a doação. O doador vivo pode doar um dos rins, parte do fígado, parte da medula óssea e parte do pulmão. Pela lei, parentes até quarto grau e cônjuges podem ser doadores; não parentes, somente com autorização judicial.
Doador cadáver - São pacientes em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) com morte encefálica, geralmente vítimas de traumatismo craniano ou AVC (derrame cerebral). A retirada dos órgãos é realizada em centro cirúrgico como qualquer outra cirurgia.

- Quais órgãos e tecidos podem ser obtidos de um doador cadáver?
Coração, pulmão, fígado, pâncreas, intestino, rim, córnea, veia, ossos e tendão.

- Para quem vão os órgãos?
Os órgãos doados vão para pacientes que necessitam de um transplante e estão aguardando em lista única, definida pela Central de Transplantes da Secretaria de Saúde de cada Estado e controlada pelo Ministério Público.

- Como posso ter certeza do diagnóstico de morte encefálica?
Não existe dúvida quanto ao diagnóstico. O diagnóstico da morte encefálica é regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina. Dois médicos de diferentes áreas examinam o paciente, sempre com a comprovação de um exame complementar.

- Após a doação o corpo fica deformado?
Não. A retirada dos órgãos é uma cirurgia como qualquer outra e o doador poderá ser velado normalmente.